domingo, 14 de setembro de 2008

A tentativa de tornar invisível o ser mais visível de todos

Tenho percebido que algumas revistas de conhecimento cultural/científico, vez por outra trazem como matéria de capa, supostas “novidades” históricas a cerca da pessoa de Jesus.

O interessante é que na maioria das matérias, existe um direcionamento que visa “desfazer” a divindade de Jesus, com base na sua vida cotidiana, e “refazer” a história do Cristianismo, supondo que a história que chegou até nós por meio da Bíblia, não é a real.

Deixando o dogma de lado e a fé descansando por um instante, encontramos na história, documentos como o de Flávio Josefo, Eusébio de Cesaréia, Públius Lentulus... Dentre outros que nos alimentam de comprovação histórica sobre a veracidade dos fatos relatados pelos evangelistas.

Jesus é tão extraordinário e apaixonante, que até os que dizem não acreditar Nele, passam anos e anos pesquisando a seu respeito e publicando artigos e livros sobre sua vida.

No livro Manual da fé cristã de John Schwarz (Ed. Betânia), existe um texto, de autor desconhecido, que de forma singela, contudo belíssima, descreve a cerca deste, que foi o maior personagem da história da humanidade: Jesus de Nazaré.

Curtam este relato!

Jesus foi o primeiro filho de uma camponesa e cresceu numa vila pouco conhecida. Trabalhou como carpinteiro até os trinta anos de idade, e durante três anos foi pregador itinerante do reino de Deus. Nunca possuiu um imóvel nem se casou. Também não “cursou uma faculdade”. Nunca se afastou mais de trezentos quilômetros do lugar onde nasceu e nunca realizou grandes obras que lhe garantissem destaque na sociedade. Não tinha outras credencias a não ser a própria pessoa.

Quando ainda era jovem, viu a opinião pública se voltar contra ele. Seus discípulos o abandonaram, e foi entregue nas mãos de seus inimigos. Em seguida, foi submetido a um julgamento muito falho, e afinal, cravado em uma cruz, entre dois ladrões. Enquanto agonizava, seus executores lançavam sortes, disputando o único bem que possuiu na Terra: Uma túnica. Quando morreu, colocaram seu corpo em um túmulo, que fora cedido por um amigo, condoído por seu sofrimento.

Vinte séculos se passaram desde então. Se somarmos todos os exércitos que já marcharam sobre a Terra, todo o poderio dos navios que já singraram os mares, todas as decisões governamentais mais importantes e todos os mais famosos reis da história, veremos que não conseguiram influenciar a humanidade como esse homem fez.

(Autor desconhecido).

Na Paz Dele, que tudo fez e continua fazendo,
Rodolfo.

2 comentários:

ideias inigualáveis disse...

finalmnte...
massa o texto. mas ainda não me conformo com essa tua foto!
xêro
hehe

Betinho disse...

quer ver refutações a respeito de Jesus, vai cursar uma faculdade Historia. agora quer se sentir totalmente completo, tenha um minuto de encontro com Jesus, é algo inefavel, sei por que o mundo tenta derrubar a imagen de Jesus, é por que numca baixaram a guarda, e se dessarmaram perante a sua singela simplicidade de agir, nem se permitiram experimentar o poder da MARAVILHOSA GRAÇA, que é exepcionalmente explicada pelo Teologo PHILIP YANCEN.

Jesus é o transformador, dE TODA A HISTÓRIA, e mais importante que isso o tranformador de milhares e centenas de milhares de vidas, por isso inigualavelmente O FILHO DE DEUS.