sexta-feira, 14 de abril de 2017

Celebrando a Páscoa

Certa vez na faculdade uma professora me disse que Jesus só era famoso porque tinha morrido... Eu rapidamente respondi: Não professora, Jesus é famoso porque Ressuscitou!
É isso que a Bíblia diz: Que Cristo venceu a morte!
Essa semana, para os Cristãos, é a mais importante do calendário anual.  E os convites para vivermos de forma amorosa e solidária, enchem nossas redes sociais... Mas é engraçado, porque esse é o convite do Cristianismo para todos os dias e para todas as épocas... rsrsrs.
Quero aproveitar esse tempo de Páscoa e expressar três motivos porque eu sou Cristão.
1 – Porque o Cristianismo é a única religião que nos apresenta Deus como um Pai!
E isso demonstra que o cerne de ser cristão, está firmado numa relação. O Deus que cremos preza muito por um Relacionamento! Dele para conosco e de nós para com Ele.
Ele tem prazer em nos abençoar como filhos e filhas;
Em suprir nossas necessidades;
Em se inclinar para nos ouvir quando clamamos por Ele;
Em aliviar nossa carga quando estamos cansados e sobrecarregados das lutas e afazeres do dia;
Em se importar com a gente desde o nosso acordar, até o nosso deitar...
E o mais bacana é que esse Pai não é exclusivo de um grupo “A” ou “B”, mas sim, como nos ensinou Jesus: O Pai é Nosso! É meu e é seu também!
2 - Porque o Cristianismo se propõe a estabelecer em nosso meio, um Reino.
E por entendermos que o evangelho não veio falar de céu e inferno, mas do Reino de Deus!
Um reino do bem... Onde se importamos uns com os outros;
Um reino de paz... Onde cuidamos uns dos outros;
Um reino de igualdade... Onde ninguém é maior ou menor que ninguém;
Um reino de esperança... Onde esperamos dias melhores, mas principalmente, sermos melhores;
Um reino de construção... Onde queremos ter um caráter igual ao D’Ele, o nosso maior referencial;
Um reino de humildade... Onde abrimos mão de qualquer pompa e abraçamos a simplicidade;
Um reino de inclusão... Onde todos e todas são bem vindos exatamente como são!
Porque nesse reino, somos súditos de um Rei que por ter o melhor pra nós, governa a nossa história.
Por isso, venha o Teu reino e seja feita a Tua vontade!
3 – Porque se eu pudesse resumir o cristianismo, resumiria em um convite ao Amor!
A Bíblia diz que Deus é Amor!
Alguém só dá a vida por alguém, por muito Amor!
Foi o grande ensinamento que Jesus nos deixou: Amar a Deus sobre todas as coisas!
Entendendo que isso significa viver buscando agradá-lo com nossa prática de vida, por amor a Ele.
Seguindo seus mandamentos, não como regras, mas como princípios que norteiam o nosso Ser no Mundo!
E Amar o próximo como a si mesmo!
Não dando ao próximo o que não quero pra mim, e não querendo mudar o meu próximo a todo o custo, por compreender que essa função não é a minha, mas do Espírito Santo que age sutilmente e eficazmente, não no chronos, mas no Kairós!
Termino dizendo que adoro o coelhinho e seus ovos de chocolate... Contudo, a minha Páscoa é poder celebrar a morte, paixão, vida, ressurreição e Ascensão do Nosso Senhor Jesus!  E por tudo o que Ele tem sido e feito em minha vida!

Feliz Páscoa, Povo Querido!

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A Crise Conjugal

A crise no casamento é feito uma doença, que se não cuidada de início, pode se agravar de tal modo que a relação fica a beira da morte. Aquele casal que no namoro tinham tanta paixão, que noivaram com tantos sonhos e que casaram com tanta certeza, em meio à crise só conseguem se agredir com palavras e ações. Não encontram mais um elogio sequer para dar ao outro! Em vez disso, estão prontos para a qualquer instante dar um relato sobre todos os defeitos que o outro tem e todos os erros que cometeu, de forma tão convincente, que quem ouve parece estar ouvindo sobre as ações de um monstro. E uma pergunta tornar-se inevitável: Como vocês casaram um dia se essa pessoa é tudo isso de ruim?  É aí que o casamento deixa de ser uma
partida de frescobol, aquele esporte praticado na praia com uma bola e duas raquetes, cujo objetivo é não deixar de jeito nenhum a bola cair, e onde os dois jogam juntos como uma equipe e vencem juntos... E começa a se parecer com uma partida de tênis, cada um do seu lado, uma grande rede dividindo tudo pela metade... Aqui é meu lugar e ali é o seu... Não pise na minha linha e fique bem longe da minha área... Porque no tênis, o objetivo é vencer o outro, criando situações difíceis e colocando a bola em lugares que o outro não conseguirá chegar... E fico pensando se os filhos, às vezes, não fazem o papel da inocente bola, recebendo as raquetadas com toda a força e jogados de um lado para o outro...  É por isso que, nos meus devaneios, sonho com o dia em que tenhamos uma forma de no presente, enxergarmos o futuro que nossas decisões e ações criarão... Ahh, se no dia do casamento pudéssemos enxergar a crise futura... Porque na crise conjugal, vários conselhos são dados, várias perspectivas são mostradas, mas os dois só enxergam o lado ruim da relação, só desejam sair da partida vitoriosos... E não como no frescobol onde os dois vencem, mas como no tênis, onde vencer é derrotar o outro. Na crise, só é contabilizado os defeitos e erros do outro, as perdas e as mágoas geradas... Os que antes eram NOSSOS filhos, passam a ser MEUS filhos... E a casa e os bens que juntos conquistaram, passam a ser a mesa que suportará a grande queda de braço das mesmas mãos que um dia se entrelaçaram prometendo viver juntos na alegria e na tristeza; na riqueza e na pobreza e na saúde e na doença... Até que a morte nos separe! Parece que certo está a Bíblia quando diz que muito disso é por conta da DUREZA DO CORAÇÃO!

Fica em mim a esperança e o ensino que recebi do meu Arcebispo: Não existe um casamento tão quebrado que não possa ser restaurado e nem um casamento tão bom que não possa melhorar! Basta ambos acordarem pra isso! Que Deus abençoe nossas relações e nos livre de nós mesmos nos tempos de crise!

Rodolfo.

domingo, 3 de janeiro de 2016

A Garrafa (de Champgne) tá borbulhando!

Quando penso na Reforma Protestante, penso numa garrafa de Champagne. 
Esse movimento aconteceu como reflexo da indignação de muitos cristãos que não suportavam mais ver as aberrações que aconteciam por meio da Igreja de Cristo. 
A Ojeriza às práticas horrendas da Igreja era tanta que começaram a “borbulhar” até o ponto da rolha estourar! 
É exatamente assim que me sinto quando me deparo com diversos “mini-vídeos” nas redes sociais, envolvendo o que a Igreja evangélica tem de pior. 
Líderes (porque, definitivamente, essa turma não pode ser chamada de Pastor) e liderados, fazendo papel de ridículo com dancinhas, orações por objetos, surtos psicóticos e com inúmeras outras práticas abusivas, absurdas e anátemas... 
E o que é pior, dizendo que tudo isso vem de Deus!? 
Minha tristeza aumenta quando alguém me coloca no mesmo pacote desses picaretas. 
A Fé apresentada por esse povo, pode ser em tudo, menos no Jesus da Bíblia! 
Essa turma aceita poucos, exclui muitos e julga todos... 
Essa turma não sabe nada sobre o Evangelho, 
Essa turma envergonha os Evangélicos, 
Essa turma não entendeu nada a cerca da Fé Cristã, 
Essa turma não me representa, 
Essa turma não representa uma porção muito grande de Cristãos verdadeiros que tem levado Deus a sério, 
Essa turma NÃO REPRESENTA DEUS!!! 
A garrafa tá borbulhando de novo...

De olho na rolha, 
Rodolfo.

Ele não veio pra Julgar!

"Deus não se deu ao trabalho de enviar o seu Filho apenas para apontar um dedo acusador e dizer à humanidade como ela é má. Ele veio para ajudar, para por o mundo nos eixos outra vez." (Jo.3:17 Bíblia A Mensagem.)

Em outras palavras: Ele não veio para julgar o mundo, veio para Salvar! 

Tenho uma grande sensação de que essa verdade tem sido ignorada e de que estamos invertendo a missão... toda vez que trocamos o foco da salvação pelo do julgamento!

Livra-me Senhor!

Na Certeza do meu Salvador!
Rodolfo.

Minha simples e pura opinião

O Cristianismo corre o sério risco de extinção. Digo isso baseado na certeza de que a fé cristã se resume em pregar uma vida de amor e serviço a Deus e ao próximo.
Vivemos um momento onde o “culto ao ego” é tão exacerbado, que poucos são os que ainda lutam por ter uma vida altruísta e por assumir uma posição de servidão frente ao outro.
Em nossos dias, vence o discurso em que o amor tem que ser, em primeiro lugar a si mesmo, e o serviço tem que ser, quase sempre de alguém pra mim e quase nunca de mim pra alguém...
Continuo enlouquecendo em busca de uma resposta que nem sei se um dia terei... Aonde iremos chegar???
Obs. Só uma nota para os críticos de plantão: Não falo da extinção do Evangelho, uma vez que Esse é eterno... Falo da possibilidade de extinção da religião cristã institucionalizada e cada vez mais personificada, antes em homens, do que no Cristo!

‪#‎minhasimplesepuraopinião‬

Rodolfo.

De Graça??

Quanto mais leio na Bíblia sobre os feitos de Jesus, mais certeza tenho sobre o seguinte entendimento do Evangelho:
A Graça não julga, acolhe!
A Graça não pune, ensina!
A Graça não poda, rega!

A Graça não é de graça, custa muito caro... todavia, o preço já foi pago!

Será que é isso mesmo, ou estou muito equivocado??

Nele, que pagou o preço por mim e por vc...
Rodolfo.

Brincando de Filosofar

Tenho vivido uma fase um tanto filosófica... 
Muitas são as minhas conjecturações na busca de entender a vida e o ser-humano. 
Uma delas tem sido a impressão de que até os 39 anos, somos meninos querendo ser gente grande; dos 40 aos 49, gente grande querendo ser menino... 
Enfim, parece que só a partir dos 50 anos é que compreenderemos muito do que a vida nos ofereceu. 
Esse é um novo tempo. O tempo da maturidade, onde a correria é bem menor, onde os valores e convicções já são bem solidificados, onde já se sabe a resposta de tantas perguntas intrigantes da vida e onde os objetos de nossas conquistas vão se tornando mais humanos e menos materiais... 
Tudo isso, é claro, sem levar em conta as exceções e principalmente sem desprezar a história de ninguém, por ter a plena certeza de que o único meio de chegarmos “lá”, é através da estrada do “cá”. 
E como ainda nem cheguei aos 40, tudo isso pode ser só fruto da minha meninice. rsrs... Será?

Brincando de Filosofar...
Rodolfo.